quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Terra de cego


Tentei esperar até que a situação se resolvesse pra mandar minha opinião, mas como a bagaça tá se estendendo além da conta, vai hoje mesmo.

Em tempos de vacas magras, Emerson ganhou facilmente o carinho da torcida quando chegou. Veio do nada e logo no primeiro jogo, após uma atuação que lhe rendeu aplausos, se derreteu em elogios à torcida e ao clube. Chorou, ao lembrar de sua última temporada no Qatar, dizendo frases como 'ninguém sabe o que eu passei lá', 'agora realizo um sonho' e etc.

Não questiono o discurso do cara. Nesses meses de flamengo, a imagem que o Sheik passou é a de um sujeito simples e de caráter. E acima de tudo, rubro-negro. Concordo com os que dizem que foi uma das melhores contratações dos últimos anos, porque até quando joga mal, o cara acredita em TODAS as jogadas.

Já assediado uma vez pelos Árabes, recebeu nova proposta 'irrecusável', e dessa vez bateu a única coisa capaz de transpor qualquer coisa, inclusive a paixão pelo clube: o tutu. Dinheiro, grana, bufunfa. Que historicamente só perde para vaginas em matéria de botar homens de joelhos.

Aprendam amigos, mais uma vez:

QUEM AMA CLUBE É TORCEDOR, JOGADOR GOSTA DE DINHEIRO.

Vai na fé, Sheik. Hoje em dia ser POUCO mercenário já é MUITO.

.

Sobre a ZORRA que virou o mengão, nem tenho o que falar. Essa de voltarem atrás na liberação do jogador só não é pior do que nego do elenco pagando salário de colega. Durante esse maldito ano de eleição vai ser sempre esse CIRCO, e nos resta torcer pra que seja eleito alguém que, pelo menos, saiba lidar com a imprensa.

SRN

Um comentário:

Nuno disse...

"Hoje em dia ser POUCO mercenário já é MUITO."

Perfeito. Só o cara CORRER (o que deveria ser básico) que já virou símbolo de amor à camisa.