domingo, 16 de agosto de 2009

Rumo à Tokio (perfurando um poço)

Caríssimos tricolores, mais dia menos dia, sairemos no Japão. O buraco cavado pela empreiteira Portaluppi-Horcades-Barros parece não ter fim. Seus operários, liderados pelo mestre-de-obra Luiz Alberto, estão imbuídos no projeto Flu-série B. Neste domingo de sol na cidade maravilhosa, escreveram mais um triste capítulo da tragédia grega que se desenhou para nós, sofridos torcedores, em 2009.

Difícil fazer qualquer análise sobre o time. Todos jogaram mal, sucumbindo diante de um bem armado Coritiba, de Marcelinho Paraíba, autor de dois gols na peleja. De menos pior, os esforçados Kieza e Roni, além de uns breves lampejos de criatividade de Conca, novamente sobrecarregado na armação das jogadas.

Impossível apontar quem foi o pior. Forte concorrência entre Wellington Monteiro (substituído na metade do primeiro tempo), Luiz Alberto, Augusto e, é claro, Renato Gaúcho. Não é possível que a torcida inteira do Fluminense esteja errada ou seja burra. Fica chato repetir tantas vezes que Wellington Monteiro e Edcarlos não têm condições de jogar pelo Fluminense. Fica chato repetir tantas vezes que o esquema ideal para o Flu é o 3-5-2, pois nossos limitados laterais têm características ofensivas e nossos beques são lentos e fracos tecnicamente. O time até melhorou com a entrada de Carlos Eduardo, mais consistente no meio campo. Entretanto, no intervalo, a entrada de Alan (muito bom jogador, apesar de discreta atuação), desarrumou o time novamente. Marquinho é limitado e jogando como lateral esquerdo improvisado, conseguiu dar mais espaços do que Augusto. Maicon também teve sua chance, mas dentro da confusão que é a equipe do Fluminense em campo, nada pode fazer.

Para refletir algumas questões...

A semana inteira só de treinamentos afetou o ritmo de jogo do time titular?

O resultado da partida seria diferente sem Wellington Monteiro e Edcarlos na equipe?

Depois de pífios 26% de aproveitamento no primeiro turno (15 pontos em 57 disputados), seria o Fluminense capaz de sair da degola?

Complicado.

.

Quem foi ao Maraca hoje presenciou um fato desagradável nas arquibancadas. As duas maiores torcidas do Flu (Young Flu e Legião Tricolor) trocaram provocações na metade do segundo tempo. Motivo: Fernando Henrique. Depois de falhar feio no segundo gol do Coxa, nosso goleiro foi muito vaiado pela Legião, nas arquibancadas amarelas. De outro lado, a Young revoltada com as vaias, iniciou uma série de ofensas contra a co-irmã no setor verde. À partir daí, muito tumulto e uma vergonhosa briguinha de egos, que só atenuou com o gol do Flu, de Kieza. Lastimável, somos todos tricolores, precisamos nos unir nesse momento ruim e devemos respeitar a opinião de cada um, seja qual for.

Saudações Tricolores.

2 comentários:

Rodrigo disse...

Ridículo a Torcida Young Flu querer defender o BOSTA do FH pq ele paga churrasco pra torcida. Tudo bem que o Ruy puxou o contra-ataque e que o Luis Alberto tomou 2 dribles desclassificantes ... mas se o BOSTA tivesse ido de mão na bola (como qualquer outro goleiro do mundo) teria feito a defesa facilmente.

Mas a Young Flu não é respeitada pelas torcidas organizadas rivais, nem pelas outras organizadas do Flu, nem pelos torcedores não-organizados ... enfim: pra que serve a Torcida Young Flu? Pq eles não se suicidam?

Luiz disse...

13/04/82!