domingo, 21 de fevereiro de 2010

Peso Morto

Cruzmaltinos desse planeta,

eu tentei. Vocês são testemunhas de que eu tentei. Não é implicância.
Após o fatídico jogo, ainda atordoado pela derrota, coloquei-me a procurar culpados, tal qual um inquisidor de botequim. Mancini. Não, ele não poderia ser condenado. Diante de um Botafogo sem meio-campo, cuja jogada de ataque (a única!) consistia em chutes para a frente e que os atacantes resolvessem, não posso crucificar nosso treinador por tirar um volante de nosso meio-campo e colocar mais um armador. Por esse pecado ele é inocente. Pensei também no juiz. Nem tanto pelas expulsões, mas porque no lance do primeiro gol o mulambo Jota Siqueira disse ter visto a bola passar por fora, antes de chegar ao zagueiro botafoguense. Ainda não consegui rever o lance de um ângulo bom para confirmar, mas culpar o árbitro é exclusividade do time de uma só estrela. Phillippe Coutinho, dirão alguns? Não! O garoto não arregou e jogou pra cima. Errou um pouco, mas tentou. Titi ou Nilton? Quando os defensores foram expulsos a nau já estava a pique. Culpá-los seria covardia. O capitão Carlos Alberto? Também seria um equívoco. Se não foi brilhante, buscou a jogada o tempo todo e, se não conseguiu, é por um desses motivos ocultos do futebol.
Assim, poderiamos dar os louros e méritos da vitória ao escrete listrado, certo? Errado. O Botafogo apresentou um futebol medíocre, e não fez nada para fazer valer o placar favorável. Não que a vitória não tenha sido merecida, mas certamente justa ela não foi (mas eu já estou velho demais pra achar que existe justiça no esporte...). Joel não fez nada demais, e o garoto Caio só justificou o título de talismã no que tange o sobrenatural, pois mal encostou na bola. El Loco Abreu continua sendo um bonde. E poucas vezes vi um jogador tão Dick Vigarista como o Uruguaio. Fala demais, bate demais - principalmente por cima. Se o juiz tivesse o mínimo de critério, ele teria que ganhar mais um amarelo para sua vasta coleção. Mas não foi por isso também que perdemos.
A culpa, meus amigos, é de um jogador. Ricardo Lucas, vulgo Dodô, a culpa é sua. Raras vezes vi um jogador tão apagado, tão sem sangue, tão sem estrela. "Artilheiro dos gols bonitos", diziam os defensores. "Não quero que sejam bonitos, quero que sejam muitos", eu respondia. Pois agora eu sei que estava certo. A furada no primeiro tempo nem precisava ter acontecido para coroar sua atuação patética. Não sei se Élton ou Rafael Coelho renderiam melhor em seu lugar, mas sei que o salário dos dois somados não se iguala ao seu. No Natal eu já havia dito que sua contratação era um presente de grego para a imensa torcida bem feliz. Você não pode ser tido como contratação de peso nem pro time da APAE.
Ganhar a Taça Rio é o mínimo que esse time pode fazer. De preferência, sem esse encosto.

Um comentário:

Renan disse...

Dodo,
assitindo o jogo em casa eu nunca gritei tanto o nome da minha adoravel Vó Cylea . "ateeeee minha voooooooo correria mais que eleeeee"...MEU DEUS!!
se eu ganhesse o salario que ele recebe todo 5(quinto) dia utel do mes, eu até comeria o gramado do maracana. time sem jogada ,todos se livram da bola Renan