quinta-feira, 26 de abril de 2012

Lembranças do paralelo 30


Tricolores e secadores de outras cores,

Devo confessar: há uma coisa que sempre me alegra. Previsão do tempo. Todos os dias, quando vejo uma nova massa de ar polar ou um ciclone extra-tropical, levando frio e chuva para o Rio Grande do Sul, eu recupero automaticamente o bom humor. Fico feliz por estar bem longe dos gaúchos, no eterno 30 graus do nordeste brasileiro.

O jogo de hoje, no estádio à beira do lago Guaíba (onde por sinal, corre um vento terrível), também me fez lembrar de outras coisas. Primeiro, do cômico provincianismo da mídia gaúcha. Em uma comparação jogador por jogador entre os dois times, feita pelo jornal Zero Hora, o Inter se revelava quase imbatível. Quase todos colorados foram considerados melhores. Só não foram todos porque Edinho e Rafael Sóbis ainda são ídolos por lá. Nem parecia que o Flu foi o melhor da primeira fase, enquanto os colorados se classificaram com as calças na mão.

Outra lembrança boa foi o retrospecto recente deste confronto. De 2000 pra cá, foram 10 vitórias nossas, contra apenas 5 deles (com 7 empates). Se considerarmos apenas os jogos em Porto Alegre, já somado o zero a zero de hoje, mesmo assim temos 4 vitórias contra apenas 2 derrotas (6 empates).

Mas, quando a bola rolou, o que me deixou feliz foi o que vi no campo. Nosso adversário é limitado, só chegou na base da empolgação, do apoio da torcida. Sempre que a bola rolou, o Flu foi superior. Além de mais qualidade, o Flu mostrou ainda ser um time cascudo, que não treme, que não sente jogo importante. Destaque especial para a seriedade do Gum, a extrema categoria do mago Deco, e para o nosso goleiro, Diego Cavalieri.


O Flu podia ter vencido, é verdade. Até merecia, diria eu. Mas a fase do nosso atual arqueiro me faz pensar que o empate sem gols não foi ruim. Permanecendo assim, a vaga será decidida nos pênaltis. Aí, feliz daquele que pode contar com um goleiro iluminado e protegido por São Castilho.

ST

3 comentários:

PCFilho disse...

Sim, a leiteria está sempre presente - toda vez que o Fluminense entra em campo, ali está Castilho, vigilante, a proteger nossos arcos - e assim será para todo o sempre.

Saudações Tricolores!
PC

Marcelo Braga disse...

Muita calma nessa hora. Como já disse anteriormente, esse time do Inter é melhor que Emelec, Lanús e Bolívar. Mesmo jogando em casa mostrou uma forte marcação que exercerá sem dúvida alguma no Engenhão também.
Temos que contar, mais do que nunca, com o talento individual de certos jogadores. Principalmente de Thiago Neves, que anda fazendo falta. Talvez com a volta de Oscar, Deco tenha um pouco mais de espaço no meio, tendo em vista que mal pegava na bola e tinham 3 colorados em sua volta.
O jogo será duro, chato e dificílimo. A derrota contra o Boca é o melhor exemplo a ser considerado. O Flu passando mostrará, sem dúvida alguma, que é sério candidato ao título.

ST

Anônimo disse...

Limitado mesmo o time do Inter desfalcado de dalessandro e oscar. Tira o fred e o deco do flu e vamos ver se é o mesmo. Só conseguiram um empate sem gols? Vê-se pq nunca ganharam libertadores. Não sabem nem comentar o resultado de um jogo. E este argumento-clichê de "provincianismo"....cara, fico feliz de saber que estás bem longe dos gaúchos. A cada vez que vejo o noticiário e os ataques do CV e outras facções, bem como as favelas, vejo q isso eh a cara do teu povo: desorganização, "jeitinho carioca", etc...Deves dizer o mesmo da Suíça, da Inglaterra, etc... Tenho uma coisa pra te dizer: qto mais a natureza oferece, menos o homem desenvolve. Prefiro o frio que me forjou gaúcho do que as benesses naturais que te levaram a colocar as perninhas pra cima e relaxar.