sábado, 28 de abril de 2012

Males que vem para o bem


Amigos tricolores,

Pode parecer estranho, mas esse Torneio Luiz Penido foi bacana. É claro que ele não fazia parte dos nossos planos. O planejamento original era ganhar a Taça Rio e acabar de vez com essa bagaça. Mas, já que isso não foi possível, pelo menos soubemos tirar algum proveito desse torneio de consolação.
Antigamente era mais fácil pros jovens jogadores. Os clubes jogavam mais, chegavam a passar dos 100 jogos em um ano. O calendário era cheio de partidas inúteis, fases classificatórias intermináveis, torneios amistosos (Copa Denner, Taça Cidade Maravilhosa, Copa Rio-Brasília, Ramón de Carranza, Teresa Herrera, etc.) e partidas caça níqueis pelo interior. Havia ainda os torneios de aspirantes, que animavam as preliminares e davam chance para novos talentos. Agora que a “modernidade” chegou ao nosso futebol, com um calendário “mais racional”, “mais enxuto”, faltam oportunidades.

É verdade que o campeonato carioca poderia servir para isso. Mas não serve. Apesar de todas as críticas, ainda é dada muita importância ao Estadual. Esse ano o Fluminense escalou o time reserva (milionário, diga-se de passagem) em alguns jogos e a grita foi geral. Reclamou a federação, reclamou a TV que possui os direitos de transmissão e reclamou também parte da torcida.

Nesses dois jogos, porém, as experiências estavam liberadas. Claro que poderíamos ter aproveitado melhor. Gostaria de ter visto mais o Lucas Patinho no lugar do Lanzini, ou o Stéfano no lugar do Wagner, por exemplo. Mas ainda assim foi bom. Serviu pra dar mais rodagem pro Wallace e Samuel Rosa, ou pro primeiro gol entre os profissionais do Fábio Braga e do Marcos Júnio.

Valeu garotada! Espero vê-los em breve no time titular!

ST

2 comentários:

El Rafo Saldaña disse...

Pra mim, time grande tinha q jogar o Estadual com time juvenil.

Sem mais.

Marcelo Braga disse...

Sem dúvida, o carioca é pra isso. Inclusive esse torneio só veio reforçar que o Flu tem que jogar do Estádio Manoel Schwartz.

ST