sexta-feira, 3 de junho de 2011

O Gringo no Flu

Nos próximos dias, veremos dois ex-jogadores se despedindo (mais uma vez) do futebol. Enquanto em São Paulo, Ronaldo se despede pela seleção, no Engenhão, Petkovic pendura as chuteiras. Aproveitando a ocasião, lembramos um pouco da passagem do gringo pelas Laranjeiras.

Polêmica 1: No início de 2005, depois de acertar salários, luvas e tudo mais, Pet deixa o Flu a ver navios e vai jogar no Oriente Médio. Na época, o então presidente tricolor, Roberto Horcades, homem de palavra, vociferou: ¨Enquanto eu for presidente, ele nunca vestirá a camisa do Flu¨. Seis meses depois, o próprio Horcades anunciava a contratação do meia.

Polêmica 2: Pet chegou brigando. Insatisfeito com a camisa 8, exigia publicamente a 10. Felipe, por sua vez, alegava que seu contrato com a Nike exigia que ele usasse o número (por conta da campanha ‘joga 10’). Essa discussão foi feita pela imprensa e durou semanas, em mais uma daquelas brigas bobas que não ajuda nada ao time.

Estréia: Em campo, as primeiras atuações até que foram animadoras. Depois de estrear bem frente ao São Paulo, e marcar seu primeiro gol na goleada contra o Paysandu, veio aquela que talvez tenha sido a maior atuação do meia com a camisa do Flu. Em pleno Minerão, o Fluminense atropelou o Cruzeiro. Vale a pena ver de novo.

Porém, 2005 não acabou bem. Depois de brigar pelo titulo até a 32° rodada, o Flu perdeu 5 jogos seguidos e ficou de fora até da libertadores. No ano seguinte, o jogador é pivô de mais uma polêmica. O time, que havia iniciado bem no Brasileirão, volta da pausa para a copa caindo pelas tabelas (culpa de uma inter-temporada movida a festas em Joinville). Osvaldo de Oliveira decide barrar o gringo, mas é impedido pelo mecenas tricolor, Celso Barros. O treinador pede demissão e o Flu despenca na tabela, escapando do rebaixamento apenas na penúltima rodada, com um gol salvador de Andre Moritz contra o Santa Cruz. Em 2007 Petkovic vai enganar em Goiânia.

Nota 1: Dedé, o bom zagueiro vascaíno, passou por Xerém. Porém, assim como também aconteceu com o Thiago Silva, foi embora do Flu antes de se profissionalizar.

Nota 2: Quem parece estar se preparando para um jogo de despedida com a camisa do Vasco é o Perdigão. Confira aqui a boa forma dele atuando pelo São José, na Segundona Paranaense.

Próximo Jogo: No Engenhão, o Flu enfrenta o Cruzeiro. Ano passado, o Flu ganhou de 1 a 0 no Maracanã (gol de Leandro Euzébio de cabeça) em um jogo onde o Cruzeiro foi muito superior. Depois, em um jogo onde o Flu foi melhor, perdemos de 1 a 0 em Uberlândia. Sábado, às 18:30, é hora de homenagear o técnico Cuca (pela inesquecível arrancada de 2009) e depois garantir mais 3 pontos. Pra cima, Fluzão!

2 comentários:

El Rafo Saldaña disse...

Hoje em dia é normal um jogador passar por equipes pequenas antes de chegar aos grandes clubes...

Qnto ao Perdigão: esse cara já não corria qndo era magro, imagine agora...

Renato Saldanha disse...

Não confunda, Rafael. Quando um jogador se destaca em um time pequeno, realmente é normal que um time grande o compre. Foi o que aconteceu com o Conca.
Agora, quando o jogador é dispensado de um time grande, é normal que tenha oportunidade em times menores (é o chamado "Refugo"). No Vasco, temos o caso do Diego Souza, do Felipe, do Alecsandro, do Dedé...