segunda-feira, 14 de junho de 2010

Torcida crítica e inteligente

Cruzmaltinos desse planeta,

há algumas semanas, por ocasião da invasão de campo no treino, critiquei duramente a torcida. Porém, ao fazê-lo, acabei por generalizar quanto algumas coisas. Existem vagabundos truculentos na FJV, assim como existem vagabundos truculentos entre nossos deputados, policiais, jornalistas, etc. No post seguinte, terminei por desqualificar a torcida, negando que ela tenha méritos. Algumas críticas continuam válidas: não concordo com a exaltação da torcida acima do clube em alguns momentos (o slogan "Acima de tudo, abaixo de nada" - além de redundante - é sintoma disso), nem com a sistematização da violência - tanto externa quanto interna. Mas, no calor dos acontecimentos, acabei por negar os feitos positivos que essa instituição de 4 décadas. Mea Culpa.
Já viajei com a Força. Não sou associado, mas mesmo assim fui recebido com muito respeito. Porque eu, "povão" - no jargão deles - fui me meter naquele ônibus? Porque dificilmente grupos independentes organizam excursões para jogos que não sejam decisivos. Na ocasião, tive a oportunidade de expor minhas críticas pessoalmente, e foram ouvidas de maneira civilizada. É claro que ouvi relatos de brigas com outras torcidas e fiquei sabendo mais sobre o absurdo sistema de escolha das lideranças dentro da FJV. Mas, ainda assim, não posso negar que a Torcida Organizada tem seu papel. Em meu post anterior sobre as torcidas, meu irmão Renato - pesquisador de futebol e leitor do blog - postou um elucidativo comentário acerca das origens e funções das T.O. . Vale rever:

A primeira torcida organizada do Brasil foi a Gaviões da Fiel, do Corinthians, criada no fim da década de 60. A idéia era criar uma torcida independente, que não tivesse rabo preso com a diretoria e então pudesse criticar a vontade (antes existiam torcidas como a Charanga Rubro-Negra, que na verdade era uns "animadores de torcida" bancados pelo clube). A idéia de uma força política independente, que venha da arquibancada, me agrada, e por isso eu sou favorável às torcidas organizadas.
Por isso também, eu não gosto dessa moda de torcida que só apóia. Acho que a torcida tem sim que criticar, queimar camisa, xingar... enfim, isso também faz parte.


Sim, a torcida pode e deve criticar o que ela julga estar errado. Jamais fui contra isso, embora tenha sido e ainda seja contrário aos métodos utilizados para tal.
Porém, assim como eu dei um "puxão de orelha" quando a FJV pisou na bola, me levanto e aplaudo quando eles acertam. Foi o que aconteceu na semana passada. No sábado, dia 12/06, a direção da torcida publicou em seu site oficial uma carta aberta comentando a situação política do Vasco. Expõe as questões do club de forma articulada, pensando nas eleições que se aproximam. Publico abaixo, na íntegra:

Carta Aberta do G.R.T.O. Força Jovem do Vasco

Temos notado um grande movimento, dando conta da importância de ter uma 3ª via nas eleições do Vasco. Vascaínos, temos que estar atentos. A nosso ver o que querem é forçar o aparecimento de um salvador, de um enviado de Deus.
Vejamos:
O Candidato Eurico - Todos dirão, não ! Esse não. Afundou o Vasco.
Tentou impor a Capitania Hereditária no século 21 , deixando para seu filho o comando do Clube apequenado, desmoralizado, sem patrocínios e com dúvidas sobre o gerenciamento das contas do clube, embora seja uma pessoa honrada e de conduta ilibada.
O Candidato Roberto Dinamite - Não. Chega, não dá. Serve para ser meu filho, meu genro, meu vizinho, meu centro avante da pelada, meu Deputado, gente boa da melhor qualidade, mas , para administrar o Vasco, se puder evitar é bom. Isso tudo dirão outras pessoas.
Ai surgem os nomes da 3a. via.
José Henrique Coelho - Surgiu no MUV como verdadeiro furacão, dinâmico, ousado, corajoso. Diria nossos avôs: este pequerrucho é uma capacidade. Logo muitos irão dizer: É o Eurico modelo 2010, mais econômico, vidro elétrico, boa visão, air bag, mas desempenho fraco e com espaço só para um. Ele. Pelo amor de Deus, esse não.
Hércules Figueiredo - Sonhador. Acredita que guerra se ganha com flores. Capaz de se aliar ao Eurico para mostrar sua integridade, sua lisura, sua pseudo-independência . Este, todos dirão, é fraco, tem que ser vagão, não pode ser locomotiva. Tá fora!
José Mandarino - Pato novo. Não aguenta o tranco. Pode entender de cavalo, de sal, mas é medroso. Imaginem a galera cobrando dele resultados. Morre de parto, ou seja, antes de nascer.
José Carlos Osório - O sonho dele é ser presidente, o difícil é conseguir. Também é do grupo dos frouxos. Bom era o pai, aliás bom não, ótimo, mas, por força da natureza, já se foi.
Fernando Horta - Presidente da Unidos da Tijuca, bonachão, patrício boa praça. Vamos lá. Está há alguns anos a frente da Escola de Samba.
É bom lembrar que a escola até 1998, embora uma das mais antigas do Rio de Janeiro, era inexpressiva. Tornou-se mais organizada e começou a crescer após ter levado para avenida o Centenário do nosso clube, que proporcionou a chegada de vários diretores para a escola , oriundos do Vasco, Sr. Guilherme, Sr. Carlos Alberto, Denis , entre outros. Ele é PRESIVICEDIREDONO da escola. É o Eurico malandro. Quem conhece não vota nele. É só perguntar ao pessoal da colônia portuguesa. Será um novo Eurico e de quebra também levará o Eurico (o verdadeiro) para a Diretoria. Dois ditadores. NÂAAAAAAOOOO!!!!!
Luso Soares da Costa - É o Calçada com ginásio e 2º grau. Poeta e sonhador. Pode ser usado por Hércules e José Henrique para ser o candidato. E não temos dúvida será usado mesmo. Ficará filosofando enquanto os outros mandarão.
Mas, surge uma luz no túnel, um enviado de Deus, uma pessoa pura, tal qual uma cachaça de Minas (pura, mas faz um mal danado) Antonio Frutuoso PERALTA.
Esse será o nome de consenso a ser apresentado pelo Presidente de Honra do Clube Antonio Soares Calçada, do qual Peralta foi vice presidente de algumas administrações do Sr. Calçada. Trafega bem junto a galera do Eurico, é vice presidente do Roberto Dinamite, é da colônia e ainda por cima é apresentado pelo Calçada como solução. Pronto, olha o homem sendo eleito. Um perigo que não podemos correr. Virá sob o manto da pacificação, da união, da religiosidade, homem puro (lembre-se da cachaça).
Não podemos retroceder. Só há uma porta que hoje não propiciará a volta do Eurico.
É as correntes anti-eurico se unirem se acertarem politicamente, nem que para isso se isolem em algum lugar, aparem as arestas, caiam na porrada e reelejam o Dinamite dando a ele a ultima chance e marcando em cima para ele finalmente assumir o Vasco e enterrar de uma vez por todas o grupo do Eurico. Podem até começar essa união questionando e verificando os critérios adotados para a indicação dos Beneméritos e Grandes Beneméritos eleitos na gestão Eurico e Calçada, coisa aliás que até hoje não foi feita. Não é mesmo Sr. Peralta? Outra coisa que ainda não foi feita. Sr. José Carlos Osório. Cadê a reforma do estatuto? Vai apresentá-lo quando o Eurico tiver a maioria no Conselho?

ESTAMOS ATENTOS!

NÃO SOMOS UMA MASSA DE MANOBRA, NÃO SOMOS APENAS
BRAÇOS FORTES, PENSAMOS, TEMOS OPINIÃO, MAS POR FAVOR
ACORDEM E FAÇAM O QUE TEM QUE SER FEITO.

Atenciosamente,
Diretoria
G.R.T.O. Força Jovem do Vasco.

Para conferir o original, clique aqui.

3 comentários:

Renato Saldanha disse...

É Rafael, a situação no Flu tb não é muito diferente. Eu li a entrevista dos candidatos a presidência do Flu, um fala em estádio ultra-moderno, outro em transformar a laranjeiras em um estádio para 20 mil pessoas, outro em construir um CT na Barra... Não tem pra onde correr. Não sei se por má fé, ou por incopetência, é um pior que o outro. Ninguém fala em separar a parte social (deficitária) do departamento profissional de futebol (superavitário), em renegociar o contrato com a Adidas, ou em investimentos concretos em Xerém... vida dura essa dos times do Rio...

jefhcardoso disse...

Gostei do blog, não faz distinção de torcedor, assim como na Copa. Parabéns.
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Anônimo disse...

Só 4 observações...

A Tov é a 1ª t.o no sistema atual do país, foi fundada em 1944, a gaviões só é marketing .

O lema acima de tudo abaixo de nada, vem de um jornal antigo da FJV que o título era: Vasco acima de tudo Abaixo de nada, o FJV foi acrecido quando fizeram a música, que hoje é: acima de tudo, abaixo de nada Força Jovem VASCO " a palavra vasco sempre gritada"

A FJV é uma verdadeira escola de vascainismo, normalmente os que colocam o nome da FJV acima do Vasco são os recêm chegados, com o tempo a idade, e maturidade aprendem a amar o Vasco de forma pouco encontrada fora da torcida, alêm do que a FJV e o Vasco é quase que uma coisa só, as 2 histórias se misturam, o Vasco sem a FJV seria como o Vasco, sem Edmundo, Roberto ou Romario, ja a FJV sem o Vasco não seria nada, mas somos o camisa 12. Com todo respeito as outras torcidas e movimentos mas elas são o banco de reserva. São úteis, mas o poder a nós conferidos não foram em vão...


Você sempre será bem-vindo em nossas caravanas por ser um grande vascaíno!