segunda-feira, 15 de março de 2010

Faltou só uma coisa...

Ahhh é Edmundo!

Em uma geração o Vasco se transformou ao mesmo tempo no time do vice (não era assim quando eu tinha uns 15) e naquele que só pode cultivar o passado, viver de museu (o que antes se gabava, emocionado, atribuindo ao Flamengo este defeito). O interessante é que cada torcedor vai viver do passado que lhe cabe, mas a cores e com tanta nitidez, nunca vi nada igual do que o penalti perdido pelo Edmundo contra o Corinthians. Apesar de ter visto a melhor partida de um clube brasileiro na espetacular vitória de 3 x 1 contra o Manchester.
Ah, sim, claro, gol do Cocada, jogo contra o Palmeiras no Parque Antártica, sei lá qual da década de 70 e por ai vai. De resto, o que sobra na cabeça são as derrotas para o Fluminense em 3 x 2 contra o Flamengo(que alegria!). A final da Copa do Brasil do Fla contra o Grêmio, depois Cruzeiro e por fim, contra o Santo André. Bom, e finalmente, as duas eliminações na Libertadores, tag esta que não faz parte da blogosfera vascaína - não existiam blogs e/ou não eram populares da última vez que o Vasco cruzou a fronteira do país.
Sendo assim, a única coisa que me cabe é revelar uma coisa e sugerir outra. Antes de escrever, assiti aos 4 x 1 do Vasco .Não fiquei triste ou irritado, até por que o Flamengo atacou pra caramba, tinha o Renato Gaúcho de muletas no ataque e no terceiro gol, o Júnior Baiano - pelo conjunto da obra, merecia ser driblado pelo Edmundo daquela forma.
O bom das coisas que passam é isso: naquela época doeu, hoje vejo como parte do enredo!
Ah, o segundo ponto, a recomendação: Não deixem de se lembrar como perderam o título mais uma vez e para esse time ai, de 2004. A camisa jogou sozinha! Vcs tiveram a oportunidade de comprovar com o Jean ai, não?!

Um comentário:

El Rafo Saldaña disse...

[i]O bom das coisas que passam é isso: naquela época doeu, hoje vejo como parte do enredo![/i]

E foi aqui que vc matou a pau. E deve saber que nossa má fase tb é só parte de um enredo épico, da história cruzmaltina.