segunda-feira, 9 de julho de 2012

Que semana!


Amigos tricolores e hereges,


Estive uma semana afastado deste nosso querido espaço virtual, mas não longe do Fluminense. Aliás, posso dizer que tive uma semana repleta de Fluminense.

No sábado passado, acompanhei do aprazível field do Bairro dos Aflitos a mais uma vitória tricolor. Vitória essa que começou muito antes do apito inicial. Quando centenas de tricolores saíram de suas casas na Bahia, Sergipe, Alagoas, interior de Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte rumo à Recife, nosso triunfo já estava garantido. Quando nossa torcida e o time se unem, quem é páreo para nós?

Por isso, o almoço de confraternização ‘Tricolor em toda a terra’ que precedeu o jogo, e contou com a presença ilustre de Marinho Chagas, mais que preparar para o embate que se avizinhava, celebrava a vitória iminente, inevitável. Todos os elogios para a Reciflu, que capitaneou o evento e mostrou que os torcedores podem (e devem) participar mais da vida do Fluminense. A torcida é a alma do clube, seu maior patrimônio, e não pode ser vista apenas como clientes que o financiam, ou como público que aplaude nas horas boas.

Na quarta-feira pela manhã, fui às Laranjeiras, comprar ingressos para o Fla-Flu e conhecer o novo museu do Flu. Meus amigos, que coisa linda! É claro que o acervo de troféus e relíquias de um clube “retumbante de glórias e vitórias mil”, já seria o bastante a para encher o Louvre. Mas ver como tudo isso selecionado e organizado, em uma ‘tabelinha’ incrível com vídeos, arquivos de áudio, fotografias, painéis interativos e com a própria sede das Laranjeiras, empolga qualquer um. Aplausos para a diretoria.

Para finalizar, amigos, o Fla x Flu. Ah! O centenário Fla x Flu: o maior clássico do futebol mundial! E mais uma vez, nossa história se fazia presente. Foi uma vitória dupla, incontestável. Na preliminar, nossos heróis de outrora, com a sabedoria de seus cabelos brancos, ensinaram o caminho. 1 a 0, gol de Arthurzinho.

Alunos aplicados, os profissionais de agora repetiram o placar. É verdade que o jogo poderia ter sido mais fácil. O Flu marcou muito atrás, quase dentro de sua área, dando campo pro fraco time adversário. Com o gramado escorregadio e com arbitragem carioca tipicamente pró-mulambos, essa postura perigosa nos levou a alguns sustos, desnecessários dada a imensa superioridade de nosso elenco.

Mas, no fim, continuamos invictos e já somos vice-líderes. Mais que os 3 pontos, fica a certeza de que, nos últimos 100 anos, em jogos importantes, sempre podemos contar com nosso assíduo freguês rubro-negro. Afinal, como já cantou a torcida, GANHAR FLA-FLU É NORMAL!  

ST

2 comentários:

Marcelo Braga disse...

Infelizmente estive nas Laranjeiras uma semana antes da inauguração da Sala de Troféus, fim do ano não deixarei de conhecê-la.
Sinceramente, nunca tinha visto o Fluminense tão dono da situação durante um jogo.
Acho que nunca uma eliminação precoce como foi na Libertadores surtirá tanto efeito no Brasileirão. A equipe tá "cascuda".

Rumo ao Tetra!

El Rafo Saldaña disse...

E o jogo contra o Botinha? Vc não comenta?