sábado, 1 de outubro de 2011

Tem que respeitar!

Eu já estava pensando no que iria escrever aqui. Seria uma crônica triste, onde eu lamentaria mais esse insucesso, ressaltando que, desta vez, o castigo havia sido injusto. Também iria dizer que a nossa recuperação no campeonato talvez tivesse começado tarde demais, e que possivelmente não houvesse mais tempo para buscar o título. Mas não escreverei nada disso, e por isso eu tenho orgulho de ser tricolor!

O jogo começou nervoso, com o Flu acuado, sem acertar a saída de bola. Mas aos poucos o time encaixou e começou a mandar no jogo. Já havíamos obrigado o goleiro adversário a fazer duas grandes defesas quando, em um contra-ataque, eles abriram o placar. O tricolor sentiu o golpe, e passou a ser dominado. Sorte nossa que, por ironia, o Flu que havia sofrido o gol quando era melhor, empatou justamente quando era pior, em uma assistência genial de nosso capitão. E assim terminou o primeiro tempo.

O segundo tempo começou nervoso, com muito estudo de ambas as partes. O retranqueiro do técnico deles melhorou sua defesa e já não tínhamos a mesma facilidade pra chegar. Mas foi nesse momento que fez diferença o nosso elenco.

Aqui vale um comentário que se faz necessário, ainda que pareça óbvio. Agora, que o nosso departamento médico está quase vazio, uma verdade incontestável vem à tona. No segundo tempo, o Flu tinha como opção no banco jogadores como o Deco (que deveria ter entrado desde o início...), o Rafael Sóbis, o Rafael Moura... sem contar o Ciro que não estava nem no banco, o Rodrigo (jovem talentoso), o Fernando Bob... não há como negar: o Fluminense tem o melhor elenco do Brasil. Repito, meus amigos, porque essa é uma verdade lapidar, inabalável e eterna: O Fluminense tem o melhor elenco do Brasil!

Voltando ao jogo, quando a coisa encrencou Rafael Sóbis saiu do banco para entrar para a história. Um gol esplêndido, magnífico, que merece não uma placa, mas um outdoor em Volta Redonda.

Depois disso o jogo caminhava tranquilamente pro seu fim, e seria apenas mais uma vitória normal do Fluminense. Mas como nada é simples na vida do nosso amado clube, o nosso zagueiro resolveu ser expulso e dar alguma chance pros comandados do Super Mouse. Com 10 em campo, sofremos o empate (injusto) aos 45 do segundo tempo. Mas eis que apareceu, novamente, nossa veia guerreira, nossa vocação pra eternidade. Márcio Rosário, que havia acabado de entrar pra recompor a zaga depois da expulsão do Digão, apareceu na área e resolveu a parada. Os desatentos talvez pensem que foi uma cabeçada. Não, meus amigos, o gol não saiu da cabeça, e sim das entranhas mais profundas de nosso zagueiro.

Vitória abençoada por João de Deus, com a marca da estrela que apenas os verdadeiros campeões possuem. Uma vitória incrível, fantástica, transcendental, que não deixa a menor margem para dúvidas: o campeão voltou!

ST

3 comentários:

El Rafo Saldaña disse...

Se é o melhor elenco do Brasil, pq na zaga tem Gum e Leandro Euzébio? Mistéééério...

bigmontz disse...

Pq eles formaram a melhor defesa do Brasileiro passado?!

Marcelo Braga disse...

É fato que o campeão voltou! E torço para que os nossos rivais pensem o contrário, pois, volto a repetir, só será campeão o time que ficar em 1º lugar na última rodada. Pelo andar da carruagem alcançaremos este posto nas derradeiras rodadas, tendo em vista confrontos diretos.
O elenco do atual campeão brasileiro é sim um dos melhores do Brasil. Abelão tem peças suficientes pra mudar o jogo ou pra modificar o modo de atuar do time de acordo com o adversário.
Agora, só quero que me expliquem como um time, que lidera o campeonato atualmente, pretende ser campeão sem um centroavante decente? Sem um atacante que faça gols?
Tem que aturar!!!
O campeão voltou!!!
ST