domingo, 30 de outubro de 2011

Quando a sorte falha...

Cruzmaltinos desse planeta,

hoje nós vimos o que acontece com o time de Cristóvão quando a sorte não ajuda. Sem Diego Showza e Fagner, o time já teria as dificuldades normais de se perder duas peças tão importantes. Esses percalços se tornam muito piores quando temos um treineiro desorientado como o interino vascaíno. Falta coragem para variar a escalação, falta visão de jogo para mudar no intervalo quando as coisas não vão bem... Parece que o treineiro fica mais preocupado em não perder do que em tentar vencer, e o que vemos é um time monotemático, dependente de jogadas individuais, bolas alçadas na área ou lances de sorte... E quando nossos talentos estão bem marcados, os cabeceios não entram e a sorte não ajuda, o time só consegue o empate - resultado esperado por quem entra só para se defender. Essa postura poderia até ser aceita fosse a partida nos domínios do adversário, mas - jogando em São Januário - tirar o Maestro Felipe para colocar o zagueiro-famélico Douglas é impensável para quem quer ser campeão.
Podíamos ter vencido? Claro! Se Allan tivesse tocado aquela bola no início do segundo tempo, ou uma das duas cabeçadas mortais de PelÉlton tivessem vencido o milagreiro Dênis, ou ainda o apitador tivesse marcado a penalidade clara sofrida pelo substituto de Fagner... Mas hoje não tínhamos a sorte de nosso lado, e perdemos a liderança. Restam 6 rodadas. Não podemos contar com a sorte nesses 6 jogos. Acorda, Cristóvão!

**

Tinha assistido São Paulo x Flamengo. Definitivamente, o time que jogou hoje não é o mesmo que foi derrotado pelo Urubu. Leão tirou leite de pedra, mesmo sem Dagoberto ou Luís Fabiano. Dificilmente o treinador felino não permanecerá no Morumbi, mesmo que consiga a vaga para a Libertadores. Sinceramente, não acredito na volta de Monsieur Gomes. A família do técnico não vai deixar, e não posso culpá-la. O treinador já escapou de 2 AVCs em beira de campo, mas para ter um terceiro não custa nada... Dependendo de quanto o Émerson Leão pedir, acho que seria uma boa pensar nele pro cargo, pelo menos pro primeiro semestre... Acorda, Roberto!


**

Essa semana o pessoal da página oficial do Vasco no Facebook publicou um Vasco Pops, pra você tentar identificar os jogadores que já vestiram o manto vascaíno. É osso! Confesso que tive que colar 3 ou 4. Teste seus conhecimentos aqui.

3 comentários:

JTVascao disse...

Criticar o Cristóvão é uma grande injustiça: o cara é auxiliar técnico, entrou em uma grande fogueira, e mantém o Vasco na briga do título. Você sugere o que: demiti-lo e contratar o Tita? O Ricardo Dubriscky? Ou queria que, no dia seguinte ao AVC do Ricardo, o Vasco mandasse os 2 embora? Desculpe, mas essa atitude não condiz com a nossa história que, tenho certeza, você conhece tão bem.

El Rafo Saldaña disse...

JTVascao,

simpatizo com o Cristóvão, mas está óbvio que ele não tem a competência necessária para desempenhar a função que ele está ocupando. Auxiliar técnico é auxiliar técnico, treinador é treinador. Manter o cara no cargo simplesmente por uma questão de "gratidão" com o Ricardo Gomes é incompatível com o perfil profissional que a gestão do Vasco deseja. Por mim, assim que o monsieur Gomes se recuperou e mostrou que não teria condições de voltar esse ano, o Vasco devia ter entrado em contato com um técnico experiente. O próprio Gomes poderia indicar o substituto, e Cristóvão poderia ser parte da comissão. O que não dar é pra encarar todo o segundo turno de um campeonato que temos tudo para conquistar com um semi-amador.

Cocada disse...

Juninho tocou uma bola ao invés de bater no Mundial de 2000 e nego reclama disso até hoje. Allan bateu a bola de forma correta.